Prazerices – Elas deixaram o emprego em uma multinacional para criar uma “marcenaria feminina”

Posted on Posted in Onde saímos

As paulistas Fernanda Sanino e Letícia Piagentini, ambas na faixa dos 30 anos, atuavam na multinacional Regus, especializada na locação de escritórios mobiliados e salas de reunião, quando uma ideia as levou a fazer o que muitos empregados sonham, mas poucos têm coragem. Com veia empreendedora, elas decidiram abrir um negócio. Mais especificamente, uma marcenaria, atividade tradicionalmente masculina.

“Como sempre gostei, resolvi fazer um curso de desenho de móveis. Foi assim que nasceu a ideia de fazer uma marcenaria diferente, criativa e feminina. Como a Fernanda gostava de reformar os móveis, o que significa pintar, adesivar e estofar, observei essa paixão e a convidei para entrar na sociedade”, conta Letícia.

Letícia Piagentini (à esq) e a sócia Fernanda Sanino (dir.)
Letícia Piagentini (à esq) e a sócia Fernanda Sanino (dir.)

Foi assim que, após passarem um ano estudando marcenaria e tapeçaria em cursos no Senai, Leo Madeira e Madeira Viva, elas investiram na compra de maquinário e ferramentas, dando início à Lumberjills. Instalada em Santo André (SP), a marcenaria em operação há um ano produz uma infinidade grande de objetos – de mesas e cadeiras, a cabeceiras e casas de boneca. “Normalmente, trabalhamos sob medida. Gostamos da ideia de exclusividade. Há peças que fazemos em parceria com artistas”, explica Fernanda.

O tempo de entrega varia. Em média, o objeto leva 60 dias para ficar pronto. As cabeceiras são as peças mais executadas na Lumberjills. No entanto, a peça mais pedida é o porta-rolha/tampinha, com mais de 120 unidades vendidas. A maior vitrine do trabalho das moças hoje é o Instagram.

IMG-20151006-WA0047-1024x576

“Mexer com esses materiais, realizar projetos e tornar a vida das pessoas mais bonita e prática é o que nos move. Ao mesmo tempo em que carregamos a bandeira da inovação, já que somos mulheres em um nicho masculino e sexista. Isso nos move e nos energiza”, explicam.

No dia a dia, Leticia cuida da parte financeira e da logística dos pedidos. Já Fernanda busca novas parcerias comerciais. Na execução, elas se dividem entre desenho e montagem e acabamento, pintura e estofado. “Trabalhar com madeira é apaixonante. Fazer do mobiliário algo funcional e decorativo é uma arte”, diz Fernanda.

Lumberjills – fe@lumberjills.com.br e le@lumberjills.com.br

peça-em-parceria-com-Cris-Ventura-1024x1024

Por: Prazerices
Publicação original: clique aqui.

One thought on “Prazerices – Elas deixaram o emprego em uma multinacional para criar uma “marcenaria feminina”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *